O hype do Big Data criou um deus mítico chamado cientista de dados: um lobo solitário, humano super inteligente com uma base sólida em ciência da computação, modelagem, estatística, análise, matemática e forte perspicácia empresarial, juntamente com a capacidade de comunicar os resultados aos líderes empresariais e de TI de uma forma que possa influenciar como uma organização aborda um desafio empresarial.

A realidade é que poucas pessoas dominaram todos esses conjuntos de habilidades. Como resultado, a ciência de dados é normalmente realizada por equipes, com pessoas que dominam uma ou algumas habilidades de ciência de dados.

Cargos e habilidades nas Equipes de Ciência de Dados:

  1. Arquitetos de negócios: 

Líderes de equipe. Forte perspicácia empresarial e capacidade de comunicação com os líderes empresariais seniores e cientistas de dados. 

Desenvolve a arquitetura para gerenciamento de informações e integração da ciência de dados e tomada de decisão baseada em evidências. 

Um agente de mudança que tem grande capacidade de persuasão para fazer com que a organização – em todos os níveis – utilize a ciência de dados para tomar melhores decisões. 

Eles vêem o quadro geral, têm talento para estratégias de negócios e know-how tecnológico. 

Os arquitetos empresariais têm uma rara combinação de conhecimento empresarial, experiência em processos, talentos de transformação, habilidades metodológicas e uma personalidade vencedora que ajuda na comunicação e no gerenciamento da mudança empresarial.

Confira 3 erros que cometi durante minha carreira como cientista de dados!

  1. Cientistas de dados: 

Muitas dessas pessoas têm formação em matemática ou estatística tradicional. Alguns têm experiência ou diplomas em aprendizagem de máquinas, inteligência artificial, processamento de linguagem natural ou gerenciamento de dados. 

Outros são fortes nas ciências da computação com experiência em arquiteturas de computação de alto desempenho, mineração de dados e algoritmos de projeto. Alguns são modeladores inovadores com forte perspicácia comercial.

 

1. Arquitetos de dados: 

Programadores que são bons em trabalhar com dados confusos, tipos de dados díspares, dados indefinidos e muita ambigüidade.

Eles podem ser pessoas com formação tradicional em programação ou inteligência empresarial, e muitas vezes estão familiarizados com estatísticas. 

Eles precisam de criatividade e persistência para poder aproveitar os dados de novas maneiras para criar novos insights.

Confira 4 lições que vão te ajudar a se tornar um cientista de dados melhor

2. Visualizadores de dados: 

Tecnólogos que traduzem a análise em informação que uma empresa pode utilizar. Eles aproveitam os dados e os contextualizam, na linguagem dos leigos, explorando o significado dos dados e como eles irão impactar a empresa. 

Eles precisam ser capazes de entender e se comunicar com todas as partes da empresa, incluindo executivos de nível C.

3. Agentes de mudança de dados: 

Pessoas que impulsionam mudanças nas operações e processos internos com base na análise de dados. Elas podem vir de um histórico Six Sigma, mas também precisam da habilidade de comunicação para traduzir o jargão em termos que outros possam entender.

10 hábitos que aprendi durante minha carreira como cientistas de dados: leia mais aqui!

4. Engenheiros/operadores de dados: 

Os projetistas, construtores e gerentes da grande infra-estrutura de dados. Eles desenvolvem a arquitetura que ajuda a analisar e processar os dados da forma que a empresa precisa. Além disso, eles se certificam de que esses sistemas estejam funcionando sem problemas.

Além disso, os cientistas de dados fazem parte de uma equipe maior em qualquer organização. Isto inclui líderes empresariais e de TI, gerentes médios e funcionários da linha de frente. 

O objetivo é usar a ciência dos dados para ajudar a organização a transformar dados em informação – informação em conhecimento e insights – e insights valiosos e acionáveis para uma melhor tomada de decisões e estratégias de mudança de jogo.

Pensa-se que os melhores cientistas de dados não são aqueles que possuem as mais fortes habilidades técnicas. Ao contrário, são jogadores de equipe: profissionais que adoram brincar com dados, detectar tendências e aprender verdades que poucos outros conhecem. 

Os melhores cientistas de dados são inquisitivos: sempre explorando, fazendo perguntas, fazendo análises “e se”, questionando suposições e processos existentes. Mais importante ainda, eles têm fortes habilidades de comunicação para ajudar os líderes empresariais – e todos os membros de uma organização – a aplicar a ciência de dados e os resultados analíticos a questões críticas de negócios.

Confira o nosso guia prático para se tornar um cientista de dados!

Published On: novembro 24th, 2021 / Categories: Uncategorized /

Aprenda a conseguir trabalho

Se inscreva para receber acesso gratuito ao módulo Conseguindo Trabalho!

Obrigado por se inscrever!
Houve um erro ao enviar sua inscrição. Tente novamente mais tarde.

Ao acessar, você concorda em receber nossos comunicados.